André Janones é o terceiro parlamentar mais influente do Brasil

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) foi o parlamentar brasileiro mais influente nas redes sociais ao longo de 2020. É o que mostra o FSBinfluênciaCongresso, métrica exclusiva desenvolvida pelo Instituto FSB Pesquisa. O filho do presidente desbancou a companheira de partido e atual desafeto Joice Hasselmann (PSL-SP), que havia liderado o ranking em 2019 e perdeu influência após romper com o clã Bolsonaro, caindo no ano passado para a 9ª posição.

O PSL domina o topo do ranking, com quatro dos cinco parlamentares mais influentes nas redes. Além de Eduardo Bolsonaro, a lista tem em 2º lugar Carla Zambelli (PSL-SP), que ganhou uma posição de 2019 para 2020; André Janones (Avante-MG), que subiu da 21ª para a 3ª colocação; Bia Kicis (PSL-DF), que também saltou de 16ª para 4ª colocada; e Filipe Barros (PSL-PR), que também subiu de 12º para 5º lugar.

O senador mais influente nas redes ao longo do ano passado foi Humberto Costa (PT-PE), que no ranking geral do Congresso foi o 7º colocado, tendo conquistado oito posições na comparação com 2019. O sexto mais influente também é um parlamentar de oposição ao governo Bolsonaro: Marcelo Freixo (PSol-RJ), que em 2019 havia sido apenas o 13º colocado no FSBInfluênciaCongresso. A também oposicionista Jandira Feghali (PCdoB-RJ) subiu duas posições e ficou na 8ª colocação.

No top 20 em influência nas redes, estão 18 deputados federais e apenas dois senadores. Em 2019, eram cinco senadores. Agora, além do petista Humberto Costa, figura nesse seleto grupo apenas outro filho do presidente da República, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), em 16º lugar — em 2019, Flávio havia sido o 6º mais influente.

Estreias

Seis nomes aparecem pela primeira vez no top 20 anual, sendo quatro deles parlamentares do estado do Rio de Janeiro: o terceiro colocado André Janones (em 2019 havia ficado em 21º lugar); Carlos Jordy (PSL-RJ), que subiu de 40º em 2019 para 12º no ano passado; Hélio Lopes (PSL-RJ), de 27º para 14º; José Medeiros (Podemos-MT), de 41º para 15º; Daniel Silveira (PSL-RJ), de 57º para 18º; e Otoni de Paula (PSC-RJ), de 61º para 19º.

Entre 2019 e 2020, o PSL ampliou sua presença no top 20, passando de seis para oito deputados. O PT saiu de três representantes em 2019 para apenas dois no ano passado. Em termos regionais, a mudança foi mais drástica. Dono da maior bancada no Congresso, o estado de São Paulo reduziu de sete para cinco parlamentares sua presença no top 20. Em contrapartida, o Rio de Janeiro ampliou de cinco para sete representantes entre os mais influentes. A bancada do Paraná emplacou quatro nomes, um a menos do que em 2019.

Partidos

FSBinfluênciaCongresso não monitora as redes próprias dos partidos, mas avalia conjuntamente o desempenho agregado de cada bancada nas redes sociais. Em 2020, o PSL se manteve como a bancada mais influente nas redes, seguida pelo PT. Em terceiro, puxado pelo forte desempenho do deputado André Janones, aparece o Avante, que em 2019 era apenas o 16º partido mais influente nas redes.

A metodologia do FSBinfluênciaCongresso atribui uma nota que pode variar de 0 a 100 para cada parlamentar e também para cada legenda (no agregado dos parlamentares). No ano passado, a nota da bancada do PSL atingiu 93,1, leve queda em relação aos 95,2 pontos obtidos em 2019.

Mesmo piorando seu desempenho conjunto de um ano para o outro, quando a nota recuou de 43,7 para 32,7, o PT se manteve como o segundo partido que mais gera conversas digitais. Já o Avante melhorou muito o desempenho de sua bancada, com o indicador subindo de 7,4 para 23,5. 

Fonte: Exame
Link: https://exame.com/bussola/parlamentares-bolsonaristas-foram-os-mais-influentes-nas-redes-em-2020/

Desenvolvimento de software sob medida

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here