Crise no Atlético-MG? Dirigentes trocam farpas nos bastidores do clube

Existe uma divisão política dentro do Atlético Mineiro - GettyImages

Sérgio Sette Câmara reclamou de omissão do presidente do conselho deliberativo do Galo

Atlético Mineiro vem vivendo um momento conturbado quando o assunto é política. O Galo possui um racha entre apoiadores de Sergio Sette Câmara, atual presidente, e também apreciadores de Alexandre Kalil, lendário dirigente do clube. 

A atual gestão possui o apoio de Rubens Menin, principal parceiro comercial da equipe e visto como mecenas para muitos. Mesmo assim, não parece ser o bastante para manter a paz interna dentro do alvinegro.

Um dos motivos para os constantes conflitos é quem preside o Conselho Deliberativo do Atlético. Castellar Guimarães Filho é o responsável por administrar essa parte do clube, porém não possui apoio de Sette Câmara, mas sim de Alexandre Kalil. 

O último conflito entre os dois se deu nesta sexta-feira, 17. A cúpula máxima do Galo está tentando se reunir para decidir se aprova ou não o balanço financeiro apresentado pela atual gestão administrativa. O Atlético Mineiro tem até o final do mês para realizar essa reunião e apresentar o resultado. 

Caso isso não ocorra, o clube corre o risco de ser excluído do Profut. Pensando nesse prejuízo, o vice-presidente do conselho deliberativo, Rafael Menin fez uma convocação para que todos se apresentem na última quinta-feira, 16. Porém esse foi o estopim para que uma bomba interna fosse estourada. 

Tudo isso se deu, pois o responsável por convocar o conselho deliberativo do clube não é Rafael Menin, mas sim Castellar Guimarães Filho. Segundo o UOL, essa atitude não caiu bem e o presidente do setor pede a análise do conselho fiscal sobre os números de 2019 e também o balanço analítico das finanças. 

Tais pedidos irritaram Sergio Sette Câmara que fez uma nota falando sobre a gestão de Castellar Guimarães Filho. O presidente atleticano não poupou adjetivos para criticar o comandante do conselho deliberativo do clube e falou em um trabalho omisso e inerte do dirigente. 

“Não obstante todas essas advertências, ainda assim, o Presidente do Conselho Deliberativo permaneceu inerte, o que conduziu o Vice-Presidente do Conselho Deliberativo Rafael Menin a agir com responsabilidade e a zelar pelos interesses do Clube, promovendo diretamente a publicação do ato convocatório”, escreveu.  

CONFIRA A NOTA NA ÍNTEGRA!

“Belo Horizonte, MG, 17 de julho de 2020.

Conselheiros(as),

Tendo em vista a omissão do Presidente do Conselho Deliberativo em designar a Reunião Ordinária para a apreciação das Demonstrações Financeira de 2019 no prazo legal e estatutário, o Vice-Presidente do Conselho Deliberativo atuou de forma diligente para evitar prejuízos incalculáveis ao Atlético, fazendo a publicação do Edital de Convocação da Reunião para o dia 31.07.2020, cumprindo assim o prazo mínimo de 15 dias entre o ato convocatório e a Reunião propriamente dita.

É oportuno realçar que, em face da pandemia do COVID-19 e da decretação do estado de calamidade pela Presidência da República, a Diretoria Executiva não teve como concluir suas Demonstrações Financeiras até 30.04.2020, conforme já noticiado aos Conselheiros.

Com a edição da Medida Provisória n.º 931/2020, que estendeu tal prazo em benefício de todas as empresas para até 31.07.2020, tratou a Diretoria Executiva de acelerar a conclusão das Demonstrações Financeiras, as entregando ao Conselho Fiscal em 26.05.2020, e ao próprio Presidente do Conselho Deliberativo em 30.05.2020, provendo então a sua devida publicação no Jornal Estado de Minas em 30.06.2020.

Nesse período, a Diretoria Financeira prestou inúmeros esclarecimentos ao Conselho Fiscal, tendo então o seu Presidente dirigido ao Presidente do Conselho Deliberativo requisição de designação de Reunião, respeitando assim os prazos destacados.

Não obstante todas essas advertências, ainda assim, o Presidente do Conselho Deliberativo permaneceu inerte, o que conduziu o Vice-Presidente do Conselho Deliberativo Rafael Menin a agir com responsabilidade e a zelar pelos interesses do Clube, promovendo diretamente a publicação do ato convocatório.

Após a publicação do referido ato, perplexos, receberam Diretoria Executiva, Vice-Presidente do Conselho Deliberativo e Presidente do Conselho Fiscal as insinuações de quem não observou o seu dever estatutário, acompanhadas da tentativa de indevida interferência no trabalho do Conselho Fiscal, que é independente e autônomo por força de Lei (artigo 4.º, inciso III, da Lei do PROFUT, reproduzido no artigo 54 do Estatuto Social do Clube Atlético Mineiro).

Com efeito, esclarece a Diretoria Executiva que adotará todas as medidas legais e estatutárias para a defesa dos interesses do Clube, acaso o Presidente do Conselho cancele sem o devido fundamento a reunião designada para o dia 31.07.2020, expondo a integridade do Atlético ao risco de graves penalidades legais.

Atenciosamente,

Sérgio Sette Câmara

Presidente Executivo”

Fonte: https://sportbuzz.uol.com.br/noticias/futebol/crise-no-atletico-mg-dirigentes-trocam-farpas-nos-bastidores-do-clube.phtml

Desenvolvimento de software sob medida

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here