Em Macacos, Janot confirma que vai defender comunidade na Justiça de graça

O ex-procurador da república, Rodrigo Janot, esteve nesse sábado (11) em São Sebastião das Águas Claras, distrito de Nova Lima conhecido como Macacos, na região metropolina de Belo Horizonte para ver de perto, pela segunda vez a situação da população atingida pela evacuação do último dia 16 de fevereiro, quando o alerta de instabilidade da barragem B3/B4 da Mina Mar Azul passou para nível 2 e obrigou pelo menos 200 moradores a deixarem suas casas. Durante a visita, Janot que agora é aposentado e advoga em seu escritório particular, confirmou que que vai defender, se preciso na Justiça, os interesses da população que sofre com os prejuízos da evacuação, por meio do Insitituto Sabastião, que está sendo criado. 

“O instituto foi organizado exatamente por esse problema causado pela Vale na comunidade. O encaminhamento das soluções possíveis é obvio que nós vamos tentar envolver os poderes públicos, com seus órgãos de controle. Vamos tentar fazer acordo com a Vale, a opção de acordo não está descartada. Mas pode ser que a gente seja obrigado a ajuizar ações coletivas também. Então tudo depende de como se encaminhar a solução desses problemas”, afirmou Janot. 

Desde a evacuação em fevereiro, além do clima de medo e incerteza que atinge a população, o distrito que tem como principal atividade econômica o turismo, viu a procura pelas pousadas e atividades de lazer cair vertiginosamente, o que trouxe prejuízo para quem tira o sustento da família da atividade. De acordo com Janot, o primeiro passo agora é listar  as demandas da população para tentar um acordo com a Vale.

“O que a gente está fazendo é estabelecendo contato com as entidades que representam o pessoal aqui da comunidade. Eles ficaram então de encaminhar para nós, os pedidos daqueles que sofreram com prejuízos para que possamos montar o quantitativo da composição da indenização”, Explicou. 

Como já havia informado O TEMPO, Janot declarou na primeira visita, em abril, que atuaria na causa de maneira pro Bono, ou seja, sem cobrar pelo serviço. Sobre o segundo contato com o distrito  após a evacuação, o ex-procurador da república afirmou que o descaso da Vale com a população ainda é grande. “O que eu pude constatar pela segunda vez que venho aqui é o total descaso da Vale com a população atingida. A vale fez divulgar ontem ou anteontem uma nota na imprensa de que, a partir de agora, ela teria obstinação por segurança para garantir aos seus investidores que ela não teria mais prejuízo. Mas nós não vemos essa mesma obstinação para reparar danos, para respeitar patrimônio alheio, vidas humanas, então é essa obstinação que nós queremos ver dessa empresa”, disse Janot.  

Em nota a Vale afirmou que não iria comentar as declarações de Janot. Entretanto, disse que “que os moradores de São Sebastião das Águas Claras continuam hospedados em hotéis, moradias provisórias e/ou casas de parentes/amigos e as listas de realocados são revisadas diariamente para correção de eventuais duplicidades ou inserção de novos integrantes reconhecidos como impactados”. Na nota a empresa também afirmou que  “as famílias moradoras da Zona de Autossalvamento (ZAS) receberam doação de R$ 5 mil para despesas imediatas e um voucher alimentação para almoço e jantar, no caso de Macacos, para utilizar em restaurantes da região”.

A Vale também informou que celebrou  com a Defensoria Pública de Minas Gerais (DPMG) um Termo de Compromisso para indenização de danos materiais e morais, referente ao rompimento da Barragem I, da mina Córrego do Feijão. “Este Termo serve de parâmetro para indenizações referentes à evacuação das barragens Sul Superior, em Barão de Cocais, e B3/B4, em Macacos”, diz a nota. 

Fonte:https://www.otempo.com.br/pol%C3%ADtica/em-macacos-janot-confirma-que-vai-defender-comunidade-na-justi%C3%A7a-de-gra%C3%A7a-1.2180134

Desenvolvimento de software sob medida

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here