Homem mantém família refém dentro de casa em BH e ameaça matar os filhos de 3 e 12 anos

Um homem de 41 anos foi preso nesta segunda-feira (27) depois de manter a família presa dentro de casa sob ameaças de morte. Ele estava com a esposa, dois filhos – uma menina de 12 anos e um menino de 3 – e outros familiares quando a polícia chegou ao local. O caso ocorreu no bairro Ouro Minas, região Nordeste de BH, e a motivação ainda é desconhecida.

Segundo a PM (Polícia Militar), quando as equipes chegaram na casa, por volta da meia-noite, o irmão do homem estava desesperado, com medo do que poderia acontecer com as crianças. Ele contou aos policiais que a casa estava isolada, com a família sendo mantida em cárcere privado e sofrendo ameaças de morte.

As negociações começaram por telefone, até que, em determinado momento, o homem abriu parte do portão e apareceu com o filho menor no colo. Segundo a PM, ele estava exaltado e ameaçando matar o menino caso os militares tentassem qualquer tipo de aproximação.

O homem foi ficando mais nervoso conforme as negociações avançavam, segundo o registro policial. Em determinado momento, ele indicou que voltaria para dentro de casa e começou a asfixiar a criança com o braço. Foi então que as equipes resolveram intervir.

Ele foi preso e, assim como alguns militares envolvidos na ação, sofreu ferimentos leves. O homem foi encaminhado ao Hospital Municipal Odilon Behrens. Segundo a Polícia Civil, ele foi autuado em flagrante por ameaça e encaminhado ao sistema prisional.

Desinformação

Este não foi o único caso que preocupou moradores de Belo Horizonte nesta segunda. No início da manhã, mensagens compartilhadas em um grupo de Whatsapp com moradores do bairro Sion, na região Centro-Sul, davam conta de que um jovem havia feito a família refém em um apartamento da região.

Alguns moradores chegaram a enviar imagens do prédio onde se dava o suposto cárcere privado e áudios dizendo que a polícia e o Corpo de Bombeiros haviam isolado o local e que o autor era um jovem que sofria de transtornos mentais, mesmo cenário descrito por dois moradores que conversaram com o BHAZ.

Informações falsas circularam em grupos de Whatsapp nesta manhã (Reprodução/Whatsapp)

No entanto, a Polícia Militar desmentiu este segundo caso. Segundo a corporação, não houve nenhuma ocorrência com essa descrição no bairro Sion e nenhuma denúncia na rua Patagônia, onde as mensagens virais afirmavam ter acontecido o caso. A PM esclareceu ainda que, apesar dos horários similares – um na madrugada e outro, supostamente, no início da manhã -, apenas o caso do bairro Ouro Minas é verdadeiro.

fonte: bhaz

Desenvolvimento de software sob medida

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here