MP investiga Prefeito de BH por multa para quem não usar máscara

Órgão defende que decisão viola “princípios do regime democrático e republicano” e pede para a prefeitura suspender a cobrança da taxa de R$ 80

O MPMG (Ministério Público de Minas Gerais) abriu um inquérito para investigar a decisão do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), de multar em R$ 80 os moradores que não usarem máscaras de proteção nos espaços públicos. 

Além de iniciar a investigação, o órgão enviou à prefeitura, nesta quarta-feira (6), um pedido para suspender a cobrança das taxas, que vão ser aplicadas a partir do dia 15 de maio. A punição é uma estratégia para tentar conter o coronavírus na cidade.

A recomendação assinada pelo promotor de Justiça Leonardo Duque Barbabela alega que as decisões do prefeito violam “princípios do regime democrático e republicano”. Segundo o promotor, o decreto divulgado pelo Executivo só poderia ter sido aplicado caso fosse para regulamentar uma lei estabelecida pela Câmara Municipal.

Para instaurar o inquérito, a promotoria também levou em consideração a determinação da prefeitura de multar em R$ 20 mil os moradores que realizarem eventos e encontros com carros pelas ruas da capital mineira.

Para o promotor, os decretos podem caracterizar “ato de improbidade administrativa” por parte de Kalil. Procurada, a Prefeitura de BH informou que ainda não foi notificada.

fonte: r7

Desenvolvimento de software sob medida

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here