PM Youtuber do MBL perde porte de arma e pode ser expulso da corporação

Gabriel Monteiro ganhou visibilidade na política do Rio de Janeiro causando polêmicas ao produzir vídeos no mesmo estilo do youtuber e deputado estadual Athur do Val. Afastado da PM, ele assessora deputado estadual do PSL

O policial militar Gabriel Monteiro, que é Youtuber e um dos líderes do Movimento Brasil Livre (MBL) no Rio de Janeiro, disse que foi informado nesta quinta-feira (5) que perdeu o porte de armas e deve ser expulso da corporação.

“Acabo de ser informado que NÃO TENHO MAIS PORTE DE ARMAS, estou no PROCESSO DE EXPULSÃO DA PM, porque questionei o Coronel IBIS, EX COMANDANTE GERAL DA PM, por ter forte contato nas áreas do COMANDO VERMELHO. É chocante, lutar contra a corrupção está me expulsando da @PMERJ”, tuitou Monteiro, compartilhando imagem do processo.

O youtuber ainda divulgou um vídeo dizendo que está sendo ameçado pelo Comando Vermelho e corre risco de ser morto, lançando uma tag de apoio a ele mesmo: “Me ajudem na #somostodosgabrielmonteiro”.

Ágatha
Gabriel Monteiro ganhou visibilidade na política do Rio de Janeiro causando polêmicas ao produzir vídeos no mesmo estilo do youtuber e deputado estadual Athur do Val (DEM-RJ), do Mamãefalei.

Estudante de direito, ele quase foi expulso da Polícia Militar por faltar o serviço para atuar em manifestações do MBL. Em setembro do ano passado, ele ficou marcado por agredir um jovem durante o enterro da menina Agatha Félix, de 8 anos.

Monteiro quase foi expulso da Polícia Militar uma vez devido aos seus vídeos. Em denúncia de desobediência hierárquica feita por um coronel da PM, a corporação concluiu que Monteiro não cumpria com suas funções como policial para atuar no MBL. “Desobediência hierárquica com palavras ofensivas contra a instituição em redes sociais, conduta irregular, ineficiência no cumprimento da função, inúmeras transgressões disciplinares como faltas ao serviço para envolvimento em manifestações políticas com o MBL, do qual faz parte”, diz trecho da decisão publicada em 27 de agosto deste ano.

O secretário de Estado da Polícia Militar, General Rogério Figueiredo – nomeado por Wilson Witzel -, decidiu anular a condenação indicada pela Corregedoria da PMERJ. A interferência fez o corregedor Joseli Cândido da Silva se demitir do posto, segundo o Jornal Extra.

Atualmente, Monteiro faz a segurança do deputado estadual Filipe Poubel (PSL-RJ) e não atua nas ruas – membros do 12º Batalhão, da cidade de Niterói, criticaram a “boquinha”.

fonte: revista forum

Desenvolvimento de software sob medida

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here