Time da (quase) Virada: Galo reage na raça, mas leva gol no fim e tem gosto amargo em estreia de Mancini

Na estreia do técnico Vagner Mancini, na noite desta quarta-feira (16), o Atlético quase fez jus a alcunha de “Time da Virada”. Quase. Após conseguir reverter o placar ao sair atrás no marcador, o Galo levou um gol no finalzinho do duelo contra o CSA, no estádio Rei Pelé, em Maceió (AL). Resultado: um 2 a 2 amargo para os dois times.

O empate manteve o time alagoano na zona de rebaixamento, na 17ª posição do campeonato. Já o Galo não conseguiu pôr fim à péssima fase: são nove derrotas, dois empates e apenas uma vitória nos últimos 12 jogos pelo Brasileirão. E, a cada rodada, o fantasma do Z4 mais próximo.

Cornetas

O jogo em Maceió possuía um ingrediente a mais: a estreia de Vagner Mancini, bastante cornetado assim que foi anunciado pelo Galo. Seu histórico de rebaixamentos no Campeonato Brasileiro não agradou os torcedores e a escalação do jogo também foi criticada pela formação com três zagueiros. Mas, na prática, o jogador Réver acabou atuando como volante.+

Começo reativo

Os primeiros minutos do jogo foram marcados pela maior posse de bola do CSA. Aos dois minutos, o atacante paraguaio Bustamante já cobrou a primeira falta, mirando no gol e acertando para fora. O Atlético manteve uma postura mais reativa.

Foi quase

Aos 22 minutos, Luan cruzou para a direita e Marquinhos cabeceou a bola rente à trave de João Carlos. Aos 31, outra sensação de “passou perto”: Vinícius chutou de fora da área e fez o goleiro do CSA defender com a ponta dos dedos.

Fugindo da zona?

Depois de resistir às tentativas do Galo, o CSA abriu o placar aproveitando uma ação desorganizada de Fábio Santos. O gol, aos 34 minutos, foi do atacante Alecsandro, que já jogou no Atlético. Com o gol, o CSA deixaria o Z-4 e empurraria o Ceará para a 17ª colocação.

Logo depois, outro “quase”, desta vez contra: tentando cortar o cruzamento de Luan, Alan Costa escapou de marcar um gol contra graças à defesa de João Carlos.

Pressão no segundo tempo

Depois do intervalo, o Galo entrou com Maicon Bolt no lugar de Marquinhos. Quase na metade da etapa final, Vagner Mancini também tirou Franco Di Santo para entrar com Ricardo Oliveira. A segunda substituição foi muito criticada pela torcida, desanimada com a fase do experiente atacante.

Frustrada com a substituição, a torcida atleticana só teve que esperar cinco minutos para uma notícia boa: o capitão Réver, que atuou como volante, empatou o jogo aos 23 minutos ao pegar o rebote de fora da área. A virada ameaçou vir com um chute de Vinícius, direto na trave.

Time da (quase) Virada

Com 10 em campo, depois da expulsão de Vinicius pelo segundo cartão amarelo, o Galo virou o jogo com gol do Luan, que acertou o canto esquerdo do gol.

Mas a alegria atleticana não durou muito. O árbitro Sávio Pereira Sampaio marcou pênalti de Guga em cima de Jonathan Gómez, que marcou o gol aos 43 minutos da etapa final.

Agenda

O Atlético volta a jogar no próximo domingo (20), contra o Santos, pela 27ª rodada do Brasileirão. O jogo é no Independência, às 16h.

FICHA TÉCNICA
Local: 
Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL)
Data: 
16 de outubro de 2019 (quarta-feira)
Horário: 
19h15 (de Brasília)
Arbitragem: 
Savio Pereira Sampaio (DF)
Auxiliares:
 Daniel Henrique da Silva Andrade (DF) e Jose Reinaldo Nascimento Junior (DF)
VAR: ​Pathrice Wallace Corrêa Maia (DF)

CSA: João Carlos (Jordi); Dawhan, Alan Costa, Luciano Castán e Carlinhos; Naldo, João Vitor (Jean Cléber), Jonatan Goméz e Apodi; Bustamante e Alecsandro (Ricardo Bueno ou Safira).
Técnico: Argel Fucks

Atlético: Cleiton; Guga, Igor Rabello, Réver, Leonardo Silva e Fábio Santos; Elias, Luan, Vinícius e Marquinhos; Di Santo.
Técnico: 
Vagner Mancini

Fonte:https://bhaz.com.br/2019/10/16/csa-atletico-brasileirao/

Desenvolvimento de software sob medida

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here